• Rede

Rede de Filantropia e Fundos dão continuidade à estratégia coletiva de comunicação


A comunicação é, desde sempre, um dos grandes desafios para organizações da sociedade civil que trabalham com direitos humanos e justiça socioambiental. Além do conteúdo em si, os modos de produção e entrega desse conteúdo para os públicos de interesse também são pontos de reflexão permanente.


Em 2021, a Rede de Filantropia para a Justiça Social (RFJS) lançou a publicação “Os desafios na comunicação da filantropia comunitária e de justiça social”. O material reúne uma série de textos produzidos a partir de entrevistas coletivas, realizadas com os comunicadores dos Fundos Integrantes da RFJS, promovidas com o objetivo de mapear e analisar os desafios para essa comunicação e para dar visibilidade às estratégias desenvolvidas.


O resultado reflete um conjunto de reflexões e questões que contribuem para pensar práticas e estratégias desse campo, partindo do pressuposto que a comunicação é essencial para o fortalecimento da luta por direitos e da democracia.


Três pontos em especial são destacados pela síntese da contribuição dos comunicadores dos Fundos da Rede na publicação:


O primeiro deles diz respeito ao sentido da comunicação. É preciso produzir narrativas que sensibilizem pessoas e organizações para a doação, reportar resultados visando manter doadores engajados e alcançar grupos e movimentos sociais não formalizados.


O segundo diz respeito ao desafio dessa comunicação, já que nesse momento impera ainda mais fortemente um discurso refratário aos direitos básicos, o que pede a produção de uma contra narrativa eficiente e engajadora para superar o discurso que equipara direitos humanos a direitos dos assim chamados ‘criminosos’.


E o terceiro traz a necessidade de lidar com um novo contexto em relação ao acesso e consumo das novas tecnologias de informação e comunicação.


Comunidade de práticas estimula comunicação em rede


Para endereçar essas questões, a RFJS e os Fundos que a integram deram início, em outubro, ao movimento de criação de uma comunidade de práticas voltada à comunicação e narrativas, no âmbito do programa Doar para Transformar.


Uma primeira oficina foi realizada em outubro, no sentido de avançar com os comunicadores nessa construção, ouvindo os pontos de maior incômodo e os desafios de se comunicar no dia a dia, como também modos como essa comunidade poderá ajudar nesse processo.


O trabalho em rede, a troca de experiências e o compartilhamento de resultados, boas práticas, metodologias, ferramentas e estratégias de fortalecimento da comunicação foram os primeiros pontos destacados, como também a importância de compor um ecossistema de comunicação da Rede, com alimentação constante de conteúdos e encontros híbridos e de formação.


A atuação conjunta dos comunicadores dos Fundos poderá gerar estratégias para potencializar narrativas potentes do campo, capazes de mobilizar e alavancar doações para o campo da filantropia comunitária e de direitos humanos e ser combustível para ações de incidência junto ao ecossistema filantrópico.


O próximo encontro do grupo deverá acontecer em dezembro.



Fundos promoveram campanhas e desenvolveram

produtos com apoio da RFJS


Entre 2020 e 2021, os Fundos que compõem a Rede foram convidados a apresentar projetos ao Programa de Apoio, com objetivo de promover troca de experiências e aprendizados e articulação de parcerias.


As iniciativas apoiadas estiveram voltadas ao enfrentamento da pandemia da Covid-19, em três linhas de atuação: criação de fundos e linhas de apoio emergenciais para organizações, movimentos e grupos de base que realizam ações diretas; mobilização comunitária e campanhas de doação; e campanhas de comunicação, informação e produção de conhecimento.


Na área da comunicação, quatro projetos foram apoiados:


A iniciativa do Fundo Baobá - Fundo Baobá e a resposta emergencial: sistematizando informações e produzindo conhecimento - teve como objetivos produzir conhecimento e subsídios para tomada de decisão com base em informações coletadas junto aos apoiados pelos editais de doações emergenciais no contexto da pandemia, sistematizar essas informações por meio de monitoramento e avaliação, além de mapear até 15 boas práticas e aprofundar a análise sobre a experiência, a ser sistematizada em uma publicação digital.


Fundo Elas contou com o projeto Comunicação do Edital Mulheres em Movimento 2020: confiança radical nas mulheres, tendo no âmbito do lançamento do Edital a produção de informação e conhecimento sobre a filantropia para a justiça social baseada na confiança pautando a necessidade de financiamento flexível para as organizações de mulheres. Um webinário com membros da RFJS como convidados e a produção de um vídeo em formato de animação, somaram para o fortalecimento sobre a pauta e o debate sobre filantropia para a justiça social no âmbito nacional.


O projeto do Fundo Positivo, Ações